Michelada Malinche, a primeira michelada de garrafa

Depois de se apaixonar pelas micheladas em uma viagem ao México em 2009, o mestre-cervejeiro Alex Jorganes se perguntou: “Por que ninguém pensou em engarrafar esta maravilha?”. Foi assim que surgiu a Michelada Malinche, uma cerveja inspirada no coquetel mexicano e que tem todos os ingredientes do coquetel adicionados no seu processo de produção. 

Jorganes já tinha trabalhado no setor de bebidas alcoólicas e tinha conhecimentos de coquetelaria, mas queria entrar no mundo da cerveja artesanal. Por isso, decidiu fabricar a primeira michelada de garrafa do mercado, um desafio para qualquer pessoa ao pensar nos ingredientes da michelada: salsa Maggi, molho inglês e molho Chipotle, além da própria cerveja e suco de limão. 

Preparando michelada

O mestre-cervejeiro conta que a receita pode ir além. “Há uma michelada para cada coqueteleiro. Você pode colocar de tudo, mas os outros ingredientes mas comuns são pimenta e sal de aipo. Os últimos avanços em micheladas apontam que se pode colocar frutos do mar e balas (de goma), e aparentemente está muito bom”. Jorganes insiste em que o que importa neste coquetel de cerveja éque seja divertido, para que cada um prepare a michelada como mais gosta.

Muito além de uma cerveja

Jorganes explica que a michelada é usada basicamente para duas coisas: tirar a ressaca e harmonizar com os mais diversos pratos. Mas é normal tomar cerveja para acabar com a ressaca? “Os mexicanos a usam para curar a cruda, como chamam a ressaca, porque a michelada é baixa em álcool, por isso ajuda a se recuperar, mas sem deixar bêbado de novo. É refrescante e ao mesmo tempo é picante, o que faz suar as toxinas do que você tenha consumido na noite anterior. Além disso, é salgada e o corpo de ressaca pede sais minerais”.

Em relação à harmonização, o cervejeiro garante: a michelada combina com tudo. “É acida e a acidez tira a gordura da comida que se está comendo. É salina, harmoniza com o salino da nossa comida, e é picante, o que dá um toque especial. Obviamente, harmoniza com comida mexicana, mas também asiática, peixes, frutos do mar, ostras, hambúrguer, pizza, churrasco. Com doces também, porque equilibra a acidez”.

Malinche, a mãe da mestiçagem

Ao transformar a michelada em uma cerveja de garrafa, Jorganes decidiu seguir a máxima do mundo dos coquetéis: todos os ingredientes devem ser apreciados no resultado final. E foi além: decidiu fazer uma michelada que é uma Pale Ale artesanal sem filtrar nem pasteurizar. 

O nome Malinche não poderia ser mais apropriado, já que Malinche foi a esposa e escrava mexicana de Hernan Cortés, dando início à mestiçagem. “Sendo a michelada uma mistura pura e além disso um coquetel mexicano feito por espanhóis, o nome encaixou perfeitamente”.

Mas como fazer para que a Malinche atraísse tanto os consumidores mais tradicionais quanto aos apaixonados da cerveja craft? “O desafio é constante e em muitos níveis: trabalhamos várias tendências – cerveja artesanal, bebida picante, coquetéis engarrafados-, cada uma com seus próprios desafios e ritmos. Mas essa é a graça da inovação, porque já há muitos fazendo o mesmo. Nossa estratégia é tentar chegar ao consumidor ‘foodie’, esses apaixonados pela gastronomia que procuram coisas novas e sabores que surpreendam”.

E Malinche já começa a dar seus primeiros passos no mundo foodie e o faz no reconhecido restaurante Racó d’en Cesc, em Barcelona, um dos poucos da Espanha que oferece um menu completo harmonizado com cerveja. “Acabamos de desembarcar em Barcelona e, nada mais chegar, uma referência do mundo gastronômico e cervejeiro como o Racó d’en Cesc nos introduziu em seu menu-degustação. A harmonização é incrível, como se poderia esperar de um sommelier como Edgar Rodríguez Tello: peixe de escama ao forno com chimichurri e Michelada Malinche”.

O futuro de Malinche

Mas Jorganes não para aí. Ele já está preparando a próxima cerveja da família, que será a Michelada Malinche Fuego, a versão mais intensa e picante de Malinche. “Estamos trabalhando no produto e design e em aproximadamente um mês estará pronta. Essa versão será mais próxima à michelada clássica”.

Malinche vem para provar que o mundo da cerveja artesanal pode ser divertido, criativo e ao mesmo tempo oferecer a qualidade e o cuidado que se espera das cervejas artesanais.

Curiosidades sobre a michelada

  • Muitos mexicanos também colocam gelo para que a michelada seja mais refrescante.

  • Em algumas regiões do México, se você pedir uma michelada virá uma cerveja com limão e a borda do copo com sal. Essa criação também é conhecida como chelada.
  • Em partes do México a michelada também inclui tequila, a bebida nacional por excelência.
  • Para servir a michelada, você deve molhar um pouco a borda do copo com limão e apoiá-lo em um prato com tajín (tempero mexicano que é uma mistura de chile picado com limão desidratado e sal) para que ele fique pegado na borda, potenciando os sabores da michelada.
  • Normalmente se usa uma American Lager estilo Budweiser para fazer uma michelada, mas no México também é comum usar cervejas mais maltosas, como a Modelo Negra. Jorganes explica que também é possível ser ousado, fazendo micheladas com IPAs ou Stouts, mas não recomenda usar cervejas de trigo.
Larissa

Jornalista e beer sommelier brasileira morando em Madrid desde 2011.

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Instagram
Something is wrong. Response takes too long or there is JS error. Press Ctrl+Shift+J or Cmd+Shift+J on a Mac.