Existe alergia à cerveja?

Imagine estar curtindo um sábado com os amigos bebendo umas cervejas acompanhadas de uns aperitivos, quando de repente você começa a se sentir mal. Lábios inchados, rosto vermelho, dificuldade para respirar… sintomas típicos de uma reação alérgica. Seus amigos te levam ao hospital e o provável diagnóstico é: você tem alergia à cerveja!

Isso é possível? Sim, embora não seja muito comum. Exatamente por isso tivemos uma surpresa quando a tradutora e apaixonada por cerveja (e minha amiga) María Cabornero passou por esta situação em uma viagem ao norte da Espanha. “A alergia à cerveja não é nada comum. De fato, é muito rara”, explica o médico adjunto do Serviço de Alergia do Hospital Universitário La Paz, em Madrid, Javier Domínguez.

Depois da crise alérgica, ao fazer exames mais detalhados, veio o diagnóstico: María é alérgica à cevada, um dos principais ingredientes da cerveja. “Entre os alérgico à cerveja, a alergia à cervada talvez seja a mais frequente, mas também outros componentes – como o milho, trigo ou arroz quando esses são incluídos – ou as próprias leveduras da fermentação, o lúpulo ou os sulfitos podem provocar alergia”, explica o especialista.

Se você está tranquilo porque não tem alergia à cerveja, é melhor não ser tão otimista. “Às vezes passam anos antes de que um paciente que está sensibilizado (tem anticorpos IgE  específicos, mas não desenvolve os sintomas) se torne alérgico. Outras vezes, o processo é muito rápido e seguramente existam fatores genéticos, situações especiais ou uma dose limiar que ative a resposta, mas não se sabe exatamente qual é o verdadeiro causador do desenvolvimento da alergia“.  

Isso significa que qualquer pessoa pode desenvolver uma alergia à cerveja e que não há como evitá-lo. Os sintomas são variáveis, mas vão desde os mais leves, como eritema facial (rosto vermelho) até a reação mais grave que é a anafilaxia. “Mas pode haver urticária, edema ou inchaço do rosto, lábios, dificuldade para respirar ou para tragar, etc.”, enumera Domínguez.

No caso dos celíacos, já existem muitas opções de cerveja sem glúten no mercado, mas os alérgicos à cevada têm que deixar de consumir a bebida.

Mas e as artesanais?

Se você é um consumidor craft, provavelmente estará se perguntando: há diferenças entre as cervejas industriais e as artesanais no que se refere às alergias? O doutor Domínguez explica que pode existir, mas insiste em que esse é um campo em que ainda falta muito por conhecer. “(Pode haver diferenças) quando a alergia é aos fungos e isso acontece porque a princípio na fermentação artesanal pode haver uma dupla ou tripla fermentação. Talvez isso se relacione a uma carga alergênica maior. Mas é apenas uma hipótese”.

Por isso, se algum dia você estiver em um bar e alguém tiver uma reação alérgica depois de ter bebido algumas cervejas, é melhor procurar ajuda médica e não descartar a bebida como a causadora do problema, já que a reação pode ser bastante grave. Se esse não for o seu caso, torça para que nunca seja.

Larissa

Jornalista e beer sommelier brasileira morando em Madrid desde 2011.

2 Comments
  1. Eu pela terceira consecutiva estou sentindo muita coçeira por todo o corpo quando bebo cerveja, ontem aconteceu de novo e vi realmente que o problema está ligado a cerveja infelizmente, vou procurar ajuda médica.

Leave a Reply

Your email address will not be published.

Assinar blog por e-mail

Digite seu endereço de e-mail para assinar este blog e receber notificações de novas publicações por e-mail.

Instagram
Something is wrong. Response takes too long or there is JS error. Press Ctrl+Shift+J or Cmd+Shift+J on a Mac.